Como é ser Agente Administrativo da PGE-RS

O professor Giuliano Tamagno conta os detalhes do cargo de Agente Administrativo na Procuradoria-Geral do Estado do RS.                         

 

O concurso da Procuradoria-Geral do Estado do Rio Grande do Sul deve ser divulgado em breve e o Momento do Mestre de hoje é do professor Giuliano Tamagno, que já foi concursado do órgão!

Bora conferir o artigo? Se ligue!

 

Salve, moçada do bem! Hoje vim aqui conversar com vocês sobre a preparação, as atividades e a rotina de quem vai trabalhar na Procuradoria-Geral do Estado.

Primeiramente, queria falar do concurso para o cargo de Agente Administrativo da PGE. Esse concurso de nível médio está entre um dos mais requisitados entre os concurseiros por inúmeros motivos que iremos conversar mais pra frente. A grande notícia desse concurso é que ele provavelmente sairá em um momento de ânimos acirrados entre os concorrentes, pois competirá com outros 3 grandes certames: um de âmbito nacional (INSS) e dois estaduais (Oficial de Justiça do TJ-RS e Técnico do TRF-4).

Isso pode parecer o caos para quem está estudando, mas é exatamente o contrário. Essa pulverização de concursos vai fazer com que a procura pelo Concurso da PGE tenha as atenções divididas com os demais, e muita gente migrará para os outros – para o OJ por ter uma remuneração maior e mais flexibilidade na carga horária e para o TRF4 por ser de âmbito Federal -. Nessa multidão sobrou quem? Você! Mesmo começando a estudar agora, as chances de quem focar nessa prova são reais, pois o edital não é muito extenso.

Mas Giuliano, esse não é o meu concurso dos sonhos, o que eu faço? Faça! Eu comecei a minha vida profissional trabalhando lá na PGE, mais especificamente na Procuradoria de Execuções e Precatórios e foi demais! De lá para cá, eu trabalhei em outros lugares e hoje opto pela advocacia e pelas aulas. Sou feliz pela minha escolha, mas nada seria possível sem o primeiro passo.

A vida de concursado possibilita um universo de possibilidades, estabilidade financeira para decisões mais acertadas, tempo para estudar e, via de regra, se transforma em um trampolim para outros cargos.

No cargo de Agente Administrativo, você vai assessorar Procuradores do Estado e trabalhar diretamente com processos que envolvam interesse da Fazenda Pública. Lá, questões de extrema repercussão são tratadas e discutidas, não existe monotonia.

Mas Giuliano, eu sou do interior! Não quero ir para a capital! O que eu faço? A PGE conta com inúmeras Procuradorias Regionais espalhadas pelo Estado, então esse não é um problema. O último concurso chamou mais de 70 candidatos e hoje a remuneração inicial está em mais de R$ 3.000,00.

Quem ainda não começou a estudar tem tempo? Sim! O edital ainda nem foi publicado, ou seja, temos um certo tempo até a prova. Com uma carga horária de 3 horas por dia, por exemplo, em 60 dias você consegue zerar o edital, incluindo questões e revisão. Amanhã você vai desejar ter começado ontem.

E aí, gostou do artigo do prof. Giuliano Tamagno? Confira outros Momentos do Mestre que rolaram aqui no Blog!

Leia os outros artigos do Momento do Mestre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *