7 erros fatais dos concurseiros e como não cometê-los durante os estudos para concursos

Confira as dicas de especialistas em concursos de todo o Brasil para não cometer estes 7 erros fatais dos concurseiros.

Quem estuda para concursos ou pretende começar em 2019 deve ter atenção a alguns equívocos muito comuns. São os chamados erros fatais dos concurseiros, que podem atrasar bastante a jornada de quem sonha em conquistar a aprovação. Pensando nisso, o Blog da Casa reuniu dicas de especialistas em concursos de todo o Brasil para você.

Em junho, durante o webinar 5 Passos para a Aprovação promovido pela Casa do Concurseiro, grandes mestres do segmento de concursos compartilharam um pouco de suas experiências em um dos vídeos. Nós separamos algumas orientações e preparamos este post para você sair na frente.

Bateu a curiosidade em saber quais são esses erros fatais dos concurseiros? Bora conferir as nossas super dicas de preparação!

Resumo:

  1. Falta de foco nos estudos
  2. Não ter equilíbrio
  3. Ser imediatista e não pensar a médio e longo prazo
  4. Ter medo de ser reprovado e desistir
  5. Não saber lidar com as críticas alheias
  6. Deixar os estudos sempre para depois
  7. Desistir por falta de dinheiro

  1. Falta de foco nos estudos

Quem nunca começou uma atividade e, em seguida, dispersou-se e perdeu o andamento da tarefa por estar pensando em outras coisas? Pois é… A dificuldade de se manter focado nos estudos, por exemplo, é um dos problemas mais comuns na jornada de estudos.

Para o coach de concursos e professor de Direito Constitucional Daniel Sena, um dos problemas da geração atual é que se criou um mito de que pessoas que fazem muitas coisas ao mesmo tempo são pessoas muito eficientes. Segundo ele, a eficiência vem quando você se dedica a uma coisa de cada vez e aí você precisa organizar o seu dia para fazer a sua própria atividade em cada momento.

“Foco é você saber dizer não para todas as outras coisas e você saber dizer sim para uma coisa só”, explica Sena, que foi servidor público durante 17 anos antes de atuar como professor da área de concursos. Mas, afinal, como combater esse problema?

De acordo com o professor, a dica é praticar atividades – como meditação – que exigem a concentração total naquilo, para ir treinando o foco. Outra orientação é eliminar elementos de distração dos estudos. “Fechar computador, fechar whatsapp, fechar a porta do quarto e dizer ‘gente, agora estou totalmente focado no meu estudo, ninguém fala comigo, pronto’”, salienta.

Ao longo do tempo, esse exercício irá se tornar uma rotina e, consequentemente, um hábito poderoso para quem sonha em alcançar a aprovação.

 

  1. Não ter equilíbrio

Muitas vezes, a pessoa tem todo o conteúdo na ponta da língua, mas, mesmo assim, não consegue mandar bem na prova. Para o professor Marcelo Hugo da Rocha, especialista em aprovação para concursos e exames de Ordem, o poder da aprovação tem dois lados: o lado pedagógico e o lado psicológico. Segundo ele, o lado pedagógico se refere a aspectos como tempo, cronograma de estudos, ambiente, materiais, entre outros.

O lado psicológico também tem um peso bem importante no resultado final. “O lado psicológico é a questão do mindset, da mentalidade, o lado emocional de uma preparação. Ninguém gosta de estudar, mas tem que tornar isso de forma prazerosa, de forma positiva”, aponta o professor.

Ele reforça a necessidade de bloquear críticas externas desmotivadoras: “Temos que estudar de forma produtiva, blindar aquelas coisas… Os sabotadores, o crítico, o autocrítico que diz que você não vai passar porque você não estuda”. Portanto, equilíbrio é fundamental na preparação, inclusive para evitar os tão temidos brancos na hora da prova.

 

  1. Ser imediatista e não pensar a médio e longo prazo

Outro erro muito comum que pode ser fatal para quem estuda é ser imediatista, justamente porque, dependendo do concurso, é necessária uma preparação mais longa para as provas. “O problema é que ninguém quer esperar um ano para ser aprovado, todo mundo quer ser aprovado daqui a 3 meses”, afirma o coach de concursos Alexandre Bento.

Segundo Bento, se você for imediatista, não vai conseguir aplicar a estratégia mais básica: estudar, revisar em ciclos e fazer muitos exercícios. “Mas isso é o básico, muita gente é aprovada até com menos disso”, salienta o coach, que também já foi concurseiro até ser aprovado em várias seleções.

O especialista em concursos recomenda começar a estudar com antecedência, com um plano de estudos bem organizado e com consciência de que é uma conquista a médio prazo.

 

  1. Ter medo de ser reprovado e desistir

Uma realidade bem frequente na jornada de um concurseiro é a reprovação. Por incrível que pareça, ser reprovado faz parte da trajetória. O juiz federal e guru dos concursos William Douglas atesta essa situação: “antes de ser juiz, eu fui reprovado 5 vezes em concurso”. E você aí pensando em desistir em cada simulado, não?

“A diferença entre o sonho e a realidade é a quantidade certa de tempo e trabalho e, principalmente: concurso não se faz para passar, mas até passar.” William Douglas

De acordo com o mestre, cada reprovação é uma etapa de auxílio, com ensinamentos para não ser reprovado na próxima prova. “A diferença entre o sonho e a realidade é a quantidade certa de tempo e trabalho e, principalmente, concurso não se faz para passar, mas até passar”, afirma o guru.

 

  1. Não saber lidar com as críticas alheias

Outra situação corriqueira na vida de quem escolhe estudar para concursos: lidar com as críticas de outras pessoas, como amigos e familiares. Por que será que nos importamos tanto com a opinião dos outros? É o que questiona o professor de Português Carlos Zambeli, que já auxiliou milhares de concurseiros a passarem em concursos.

Zambeli, que atualmente cursa a faculdade de Psicologia, atenta para a responsabilização do candidato. “Acredite que essa escolha é somente sua e ninguém, mas ninguém, tem obrigação e direito de se meter na tua vida”, ressalta o professor. Afinal, estudar para concursos demanda um tempo. Nem sempre as pessoas entendem esse período.

 

  1. Deixar os estudos sempre para depois

O sexto erro mais frequente é a velha máxima da procrastinação – quando você deixa para amanhã aquilo que deveria ou poderia estar fazendo hoje -. Quem nunca deixou para depois aquela tarefa que parecia menos importante? O estudo para concurso deve ser realizado sem falhas, de forma constante.

Como evitar a procrastinação? Não existe receita, é o que afirma o psicólogo especialista na área de concursos Fernando Elias. “As pessoas ficam buscando muitas vezes uma solução mágica para não procrastinar”, relata o mestre. Ele aponta que a preparação para concurso exige que você faça aquilo para o que se programou. Ou seja, é necessária uma ação constante contra a procrastinação.

 

  1. Desistir por falta de dinheiro

Falta de grana é uma das desculpas bem frequentes para não estudar. Porém, isso não deve ser motivo para desistir, já que há uma quantidade infinita de materiais de estudos gratuitos pela Internet. É o que aponta o professor Edgar Abreu, um dos fundadores da Casa do Concurseiro.

Segundo o mestre, a própria Casa disponibiliza as apostilas completas dos seus cursos para download gratuito. Sim, a mesma apostila usada pelos alunos dos preparatórios é liberada para as pessoas baixarem gratuitamente. Que tal aproveitar e dar um clique na página das Apostilas Grátis da Casa?

Além das apostilas, diversos canais do Youtube disponibilizam aulas gratuitas, dicas de especialistas, questões comentadas, infográficos e outros vídeos que podem auxiliar na sua preparação. O canal da Casa tem tudo isso e muito mais! Uma ajuda e tanto para quem sonha em ser aprovado e não tem recursos para investir em um preparatório pago.

 

Baixe as apostilas gratuitas da Casa!

Assista ao conteúdo gratuito no YouTube da Casa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *